Os melhores livros da Coleção Vaga-lume

A Coleção Vaga-lume lançada pela editora Ática em 1973, voltada a princípio para o público infanto-juvenil, se popularizou rapidamente, principalmente por seu uso em escolas e creches.

A coleção possui mais de 100 títulos, divididos entre as séries Vaga-Lume e Vaga-Lume Jr., para leitores com faixa etária entre 10 e 20 anos.   Ela se tornou a principal referência literária de pelos menos três gerações de crianças e jovens. Todavia não é só as crianças e jovens que ela agrada, prova disso é esta leitora que vós fala na casa dos 40 e poucos, risos.

Dito isso, vamos aos livros que li dessa fantástica coleção.

Sozinha no Mundo (1984), Marcos Rey

Sozinha no mundo, Pimpa enfrenta uma realidade dura e difícil: a morte de sua mãe. Corajosa e sem saída, fugindo de uma assistente social, ela sai em busca de “tio” Leonel. Encontrá-lo é sua única chance. No fim da narrativa, Marcos Rey, hábil contador de histórias, surpreende como sempre seu leitor, depois de deixá-lo apreensivo e curioso com a conflitante situação de Pimpa durante toda a leitura.


O Escaravelho do Diabo (1974), Lúcia Machado de Almeida

A única pista que Alberto tem sobre uma série de assassinatos que estão acontecendo é de que vítimas ruivas recebem um escaravelho pelo correio antes de morrer. Ele, então, precisa descobrir o que está por trás desses crimes misteriosos antes que haja outras vítimas na cidade. Para isso, ele tenta descobrir o significado dos insetos.


A Ilha Perdida (1973), Maria José Dupré

Eduardo e Henrique resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrir se as histórias que ouvem sobre o lugar são reais. Os dois acabam se envolvendo em uma grande aventura em que um velho sábio ensina o respeito e o amor à natureza. Um clássico da literatura juvenil brasileira, o livro foi publicado em 1973 pela Coleção Vaga-lume.


Éramos Seis (1973), Maria José Dupré

O livro conta a história de Dona Lola e sua família. A bondosa e batalhadora mulher faz de tudo pela felicidade do marido, Júlio, e dos quatro filhos: Carlos, Alfredo, Julinho e Maria Isabel. A vida de Dona Lola é narrada desde a infância das crianças, quando Júlio trabalha para pagar as contas, passando pela chegada dos filhos à fase adulta e de Dona Lola à velhice.


Tonico e Carniça (1977), de José Rezende Filho e Assis Brasil

 Tonico e Carniça (1977), de José Rezende Filho e Assis Brasil

O livro é uma continuação da história de Tonico, um menino órfão, e seu parceiro Carniça, que também é um menor abandonado. Os dois lutam juntos para escapar do preconceito daqueles que os enxergam como pivetes e tentam provar à sociedade que não são marginais. Tonico está disposto a ser independente e ganhar seu próprio dinheiro, por isso ele e o amigo revezam uma caixa de engraxate: enquanto Tonico estuda, Carniça trabalha e vice-versa. Os negócios vão bem e os dois garotos estão satisfeitos com o trabalho, porém um fato inesperado põe a vida de Carniça em risco.


Boa leitura!

[Total: 0   Average: 0/5]
Tags:

Deixe uma resposta

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
error: Content is protected !!