O caso dos exploradores de cavernas por Lon Fuller

Li este livro interessantíssimo sem noção de nada, foi logo no início do curso de Direito, era para fazer um trabalho na faculdade, tínhamos que escolher um dos juízes e fazer o julgamento. Nosso excelentíssimo professor nos passou a melhor tarefa que um aluno poderia fazer: ler e pensar.

A leitura do livro nos instigava a pensar, não que os demais livros não façam isso, mas O Caso dos Exploradores de Cavernas é diferente, não dá para simplesmente ler, você tem que pensar e, mais escolher quem sentenciar, tudo depende de que lado você está, juridicamente falando. Todavia, para qualquer pessoa minimamente sensata, fazer um julgamento fundamentado é muito difícil.

Dito isso, a história se passa no ano de 4299, onde cinco exploradores foram explorar uma caverna, mas houve um desmoronamento e tampou a única saída da caverna. Pouco tempo depois as famílias percebendo a demora no regresso dos exploradores, pediram ajuda para autoridades parar resgatá-los. O resgate foi difícil, pois novos desmoronamentos ocorriam, num deles 10 pessoas da equipe de resgate morreram.

Após 20 dias, conseguiram finalmente comunicar-se com os exploradores através de um rádio, neste rádio eles perguntaram quanto tempo demoraria para eles saírem e a resposta foi mais 10 dias, depois perguntaram para um médico se eles poderiam sobreviver sem comer por mais 10 dias e ele respondeu que provavelmente não.

Diante da resposta do médico, houve um tempo de silêncio então eles perguntaram se comendo carne humana eles poderiam sobrevier mais tempo até a chegada do resgate, o médico respondeu que provavelmente sim, então os exploradores recorreram às autoridades religiosas, políticas, médicas e ninguém aceitou participar da decisão.

Como as autoridades se negaram a tomar uma decisão com eles, um dos exploradores, Roger Whetmore propôs aos seus colegas que jogassem dados e quem perdesse seria morto e dado de alimento aos demais.

Porém, antes de ser jogado os dados ele pediu para que esperarem mais 7 dias pelo resgate, mas seus parceiros não aceitaram, então Whetmore perdeu e foi morto e comido pelos outros. Aqui já observa que todos estavam fora de si devido a fome, um dia sem comer é um horror, imagina vinte dias.

Enfim, após saírem da caverna, os exploradores foram para os tribunais a fim de serem julgados, sendo sentenciados por quatro juízes: Foster, Tatting, Keen E Handy.

Foster propôs que os acusados não poderiam ser condenados, pois as leis legais não se encaixavam neste caso. Segundo ele as leis legais são para a sociedade, os quatros réis não estavam numa sociedade, então as leis legais perdem valor e entra as leis naturais. Aqueles homens só fizeram aquilo para garantir a própria sobrevivência.

Tatting combate fortemente o argumento de Foster, pois não se tem conhecimento destas leis naturais, e quando é que estas leis naturais começaram a valer? Antes ou depois de matarem Whetmore? No final ele se encontra numa controvérsia emocional, por um lado ele os acusa por seus atos terríveis, por outro ele tem simpatia por eles.

Keen fala que se ele pudesse iria libertar todos, pois eles já sofreram demais. Mas como o seu trabalho não é moral e sim legal, ele necessita aplicar a lei. A lei diz que todo homem que matar outro vai cumprir com a pena de morte, ele acusa os réus. Para este juiz o que deve ser aplicado é a letra da lei. Ele é legalista.

E por fim Handy, primeiramente ele levanta as valides do acordo feito na caverna onde todos aceitaram depois ele levanta a opinião pública. Ele mostra uma pesquisa feita com a população onde 90% das pessoas acreditam que os réus devem ser absolvidos, então ele fica do lado da opinião pública.

A suprema corte, estando igualmente dividida mantém o primeiro resultado do tribunal dando sentença de morte aos acusados. Não me lembro se houve recurso.

Eu escolhi o juiz Foster. Ademais, o quê adiantaria condená-lo após todo o sacrifício para tirá-los da caverna, se fosse para matá-lo, que os deixassem lá, condena-los a morte não traria os dez que morreram no desabamento e nem Roger Whetmore de volta a vida, só aumentaria o numero de vítimas de um infortuno. Sem contar que as leis naturais são o cerne de todas as leis legais, a legalidade só existe para satisfazer as leis naturais.

Outro ponto importante é o acordo feito pelos exploradores de cavernas, se por acaso eles tivessem matado alguém sem este acordo, então eu concordaria com a acusação. Mas todos concordaram com este ato, mesmo um pouco antes Whetmore decidindo abandonar, o acordo ainda estaria de pé, e durante o sorteio dos dados Whetmore não reagiu então ele estava consciente do que estava acontecendo.

Enfim, creio que os exploradores fizeram a única coisa possível naquele momento a fim de saírem da caverna com vida, era um momento desesperador e nesses momentos infelizmente não costumamos pensar com clareza, pois se eles tivessem tido um pouco mais de frieza, paciência e objetividade, teriam escolhidos outros caminhos e existiam vários. Sempre há. Porém, a grande questão é a fome, não tem como agir de outra forma quando você está desesperamente faminto, a fome nos impede de pensar com clareza.

De qualquer forma, o nosso maior problema é pensar, sempre e infelizmente em momentos de grande pressão, agimos com impulsividade, de maneira inconsequente. Assim, o livro é espetacular em nos obrigar a refletir.

Nem preciso dizer que sua leitura é altamente recomendável!

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.