Mar morto por Jorge Amado

Acabei de ler Mar Morto, outro livro maravilhoso desse escritor magnífico. Escrito em 1936, quando o autor tinha apenas 24 anos, o livro é também um dos mais populares de seus muitos romances. Dizem seus amigos que este livro é o preferido por Jorge dentre todos que escreveu. A obra foi traduzida para vários  idiomas.

O livro é um romance escrito como um poema em prosa. Ele conta histórias
da beira do cais da Bahia, de velhos marinheiros, mestres de saveiros, dos
malandros, da vida e do amor das pessoas que têm suas vidas entrelaçadas com o mar.

A história se passa no Cais da Bahia, onde viviam os marinheiros, como seu Francisco e seu sobrinho Guma. Este após aprender tudo com seu tio Francisco passa a tomar conta do saveiro chamado Valente. Certo dia salva o navio Canavieiras do naufrágio em uma noite de tempestade, torna-se famoso em todo o Cais da Bahia.

Como a fama de um jovem rapaz sempre desperta os olhares femininos, Guma conhece Lívia, a mais bela de todas as moças do Cais. Após casarem-se, vão morar com seu Francisco, levando com eles Rufino, grande amigo de Guma, e Esmeralda, esposa do amigo.

Tudo corria muito bem até que Guma deixa-se envolver pelos encantos e pela sedução de Esmeralda. Ao descobrir a traição, Rufino mata Esmeralda e depois, desgostoso, se suicida.

Algum tempo depois Lívia descobre que está grávida. Guma, com remorso de ter traído Rufino e Lívia, pega o Valente e vai para o mar. No acontece um acidente com Guma, que bate o Valente nas pedras, destruindo-o totalmente, tendo, contudo, escapado com vida. Nesse tempo, Lívia dá luz, que chama de Frederico, e Guma explode de alegria com a chegada do filho, apesar da imensa dor por ter perdido seu saveiro.

Sem ter como sobreviver e manter Lívia e seu filho  envolve-se com contrabando de seda para os árabes após adquirir outro saveiro, o Paquete Voador. Numa dessas viagens, o filho de um dos árabes, que o acompanhava até o Porto de Santo Antônio, cai no mar. Guma, num ato de extrema coragem, pula no mar e consegue salvá-lo, mas desaparece entre as ondas do mar.

Lívia, viúva, passa a cuidar sozinha de Frederico, contando a ajuda de seu Francisco. Juntos, toma conta do Paquete Voador, a maior lembrança que guardam de Guma.

Assim, Guma fica para sempre na memória do cais pela sua coragem e bom coração. Após sua morte, as águas do mar se tornam calmas, quase mortas, daí o título da obra: Mar Morto.

Livro maravilhoso do início ao fim, nem preciso dizer que recomendo!

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.