Divergente por Veronica Roth

O livro Divergente é uma trilogia, foi escrito por uma escritora jovem e iniciante Verônica Roth, ela só tem 25 anos. Isso mesmo! Uma escritora surpreendente jovem, né! O livro fez tanto sucesso que o primeiro volume da trilogia já virou filme. Eu ainda não assisti, então vou falar só do livro, ok!

Comecei a ler o livro sem saber muito sobre o conteúdo, pois quando um livro está na moda, evito ler ou ouvir falação sobre ele, acho que isso afeta minha opinião. Passado algum tempo, resolvi ler mais por curiosidade por se tratar de uma jovem  autora e por ser o primeiro livro dela.

O livro Divergente conta a história de uma garota chamada Beatrice, ela tem  16 anos e vive em uma facção denominada Abnegação. Como o mundo estava em guerra e, para acalmar os ânimos, foi feito uma divisão das pessoas em facções para tentar manter a paz.

Estas facções foram divididas em cinco: erudição, audácia, franqueza, amizade e abnegação, esta última já citada. Pois bem, cada uma das facções salienta uma qualidade de seus membros. Tal organização dessa sociedade se dá baseada na qualidade principal de cada grupo; ou seja, as pessoas da Abnegação ocupam os cargos públicos, pois acreditam que seus altruísmos os fazem imunes a corrupção e toda torpeza da raça humana, doce ilusão.

Enfim, nessa sociedade, todas as pessoas ao chegarem aos 16 anos, devem escolher a qual facção vai pertencer. O ideal é cada um fique onde nasceu tipo um sistema de castas (casta é um sistema tradicional, hereditário ou social de estratificação, ao abrigo da lei e com base em classificações como a raça, a cultura, a ocupação profissional e a religião), porém existe a possibilidade ir para outra facção, chocando a sociedade.

Divergentes significam aqui é quem têm mais opções após passar por um teste de aptidão nada convencional. Nesse caso ser divergente, como a palavra mesmo implica, não é nada bom nesse contexto.

Voltando a jovem Beatrice, ela é uma Divergente e que, apesar de ter nascido e passado sua vida na Abnegação, ela sai dessa facção. Em sua atual facção, ela conhece um grupo completamente diferente de pessoas que vivia com ela na Abnegação. Entre eles, ela conhece o enigmático Quatro e novos amigos e inimigos.

O que se segue é: as tais facções foram criadas para acabar com a guerra, mas o que infelizmente agora uma facção ataca a outra, mesmo que apenas ideologicamente, isso no início. Abnegação e Erudição estão em conflito, haja vista que os eruditos querem o poder e para isso corromperam o ideal de usar a inteligência para o bem comum. Por outro lado a Audácia esqueceu seu compromisso básico de defesa para orientar seus membros que coragem é o mesmo que ter tendências suicidas. Assim, eles estimulam a violência mais do que a proteção. Desta forma, os membros estão destruindo todas as bases criadas para evitar a destruição que existiam antes. Enfim, o nós seres humanos não somos só complicados, nós somos malucos e totalmente fascinados pelo poder. Queremos sempre ser melhor do que o outro acho que isso é carência, sei lá…

O livro é bom, bons personagens e um enredo razoável.

Se considerarmos que é o primeiro livro da jovem autora, é uma estreia relativamente sólida e interessante. Talvez eu leia o restante da série, não sou muito fã de trilogia, vamos ver.São Paulo, SP, Brasil.

Boa leitura e até o próximo post!

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.