O Cortiço

Amei este livro, me senti vivendo no cortiço, é lógico que na história foi ótimo vivenciar aquele ambiente pitoresco e animado, apesar de pobre, porém acredito que na vida real é muito difícil. Teve muitos momentos tristes, mas eu me ative mais as coisas interessantes da vida no cortiço, mesmo porque nunca vivi em um, então foi novidade, mesmo que na minha imaginação de leitora.

Voltando a história, o romance segue claramente duas linhas mestras em seu enredo, cada uma delas girando em torno de um imigrante português. De um lado temos João Romão, o dono do cortiço, do outro Jerônimo, trabalhador braçal que se emprega como gerente da pedreira que pertence ao primeiro.

João Romão enriquece a custa de sua obsessão pelo trabalho de comerciante, mas também por intermédio de meios ilícitos, como os roubos que pratica em sua venda e a exploração da amante Bertoleza, a quem engana com uma falsa carta de alforria. Ele se torna proprietário de um conjunto de cômodos de aluguel e da pedreira que ficava ao fundo do terreno. Aumenta sua renda e passa a se dedicar a negócios mais vultosos, como aplicações financeiras. Aos poucos, refina-se e deixa para trás a amante.

Miranda, comerciante de tecidos e também português, muda-se para o sobrado que fica ao lado do cortiço. No início disputa espaço com o vizinho, mas, aos poucos, os dois percebem interesses comuns. Miranda tem acesso à alta sociedade, posição que começa a ser almejada por João Romão, este, por sua vez, tem fortuna, cobiçada pelo comerciante de tecidos que vive à custa do dinheiro da esposa. Logo, uma aliança se estabelece entre eles, até ai nenhuma novidade.

Para consolidá-la, planeja-se o casamento entre João Romão e a filha de Miranda, Zulmira. João se livra de Bertoleza, devolvendo-a aos seus antigos donos.  Jerônimo assume a condição de gerente da pedreira de João Romão e passa a viver no cortiço com a esposa Piedade. Sua honestidade, força e nobreza de caráter logo chamam a atenção de todos.

No entanto, seduzido pela envolvente Rita Baiana, assassina o namorado desta, Firmo. Jerônimo abandona a esposa e vai viver com Rita. Entra então em um acelerado processo de decadência física e moral, assim como sua esposa, que termina alcoólatra.

A decadência atinge também outros moradores do cortiço. É o caso de Pombinha, moça culta que aguardava a primeira menstruação para se casar. Seduzida pela prostituta Léonie, abandona o marido e vai viver com a amante, prostituindo-se também.

O cortiço é um  emaranhado de  histórias de vida, você viaja na vida dos personagens, sofre , ama, torce e se aventura com eles. Um  livro maravilhoso que não dá para não ler.

Leitura altamente recomendável, não só por ser um clássico nacional, mas por tudo que ele representa para os amantes da leitura.

Boa leitura!

Espalhe esse post por ai!

[Total: 0    Média: 0/5]
Comentários